sábado, 22 de dezembro de 2012

Constatação

 
Para a parede cimento
Para um poeta sentimento.
 
 
(Para minha amiga Aline Monteiro, que é
irremediavelmente sentimental)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Quarto de dormir


Faz frio aqui
E a cama ainda
Marcada pelo teu corpo
Guarda teu cheiro
Presente
- deixando na tua última noite comigo-.
Por que você saiu assim
Sem me explicar coisa alguma
ou deixar pelo menos o verão chegar?
Este quarto é muito frio sem teu abraço
Sem a presença marcada pelo teu corpo no meu
E essa chuva ainda insiste em cantar nas telhas
Uma saudade que me recuso a aceitar.

Sozinho

 
Tão longe de tudo
Tão perto de mim.

Hora de dormi


 
... Olhos fechados
Sonhos abertos.

Poemas para o fim do mundo



Fim

Se é para acabar o mundo
Que acabe em poesia
Feita dos sonhos
Ainda não vividos
De cada um de nós.

Quando acabar

Quando o mundo acabar
Vou me eternizar poeta
Em algum canto do cosmo
E fazer poema das estrelas

Céticos
 
Para os poetas o mundo não acaba
O que acaba é a capacidade de muitos
Em não reinventar um
mundo todinho novo
No dia seguinte.

Sobre o fim dos tempos

E no fim
Tudo era apenas
O começo

domingo, 2 de dezembro de 2012

Seguindo


Resolvi começar uma vida nova hoje, amor. Pintei o meu rosto, coloquei o batom vermelho que você odeia, e um vestido lindo. Quero sair mais linda hoje e arranjar um monte de olhares, dançar a noite inteira até meus pés não aguentarem mais, e vou dizer bem alto que me amo, me amo, me amo até você ouvir, que eu me amo. Sei que já não tenho mais lugar no céu, nem no inferno, fiz tudo por te amar, e acabei ficando sem salvação por imaginar que seu amor me salvaria de alguma formar de tudo o que passei por ti. Eu deveria saber que você jamais teria coragem de deixar ela para ficar comigo para amanhecer em meus braços, me dar dois filhos, dois meninos para correr pela casa e quebrar meus jarros de plantas, mas sempre fui sua segunda opção, só que cansei de ser a minha segunda opção, por isso agora eu vou seguir, neném. Vou me amar a partir de hoje e depois pensar em alguém para amar.

Proibição


Saudade é para gritar no peito
E calar na voz.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Ei, moça!

 
Ei, moça!
Não sou verbo
Mas quero ser conjugado
Na tua vida
Em um pretérito mais que perfeito
De nós.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Sobre ela



Iara é pouco pra ela
Ela quer ser a rainha do mar 
Iemanjá...
Mulher furacão destruindo corações 
Com seu jeito de mulher amazona
Amazonida 
Índia guerreira
Pantera negra de beijo quente 
De pele ardente
Mulher-menina
Mestiça
De sangue latente
De pés sujo de terra batida
Mas nunca abatida por temporal
Sentimento
Ou lamento alheio
É Gabriela, Maria
Isabela, Cristiani...
É tantas outras
Uma para cada dia.

Coisas de quem tem saudade


Saudade
É água salgada
No mar dos meus olhos
Quando tu estás longe deles.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

De braços abertos


 
Descobri um sorriso
Guardado
Escondido entre os dias dificeis
Depois da tempestade que você foi em minha vida
Sorriso de menino
Descobrindo o mundo
Com os braços abertos ao vento
Esperando a felicidade chegar.
Para se entregar de vez a ela

sábado, 17 de novembro de 2012

Olha só



Vai ver eu não fiz mesmo nada”, nada do que devia ter feito para evitar essa situação assim tão constrangedora para nós. Nos pegarmos aqui frente a frente parecendo dois estranhos que se encontram pela primeira vez. Esse seu olhar anda tão perdido de tudo, do mundo, de mim, de nós. “Vai ver eu não sou mesmo nada” do que você esperava que eu fosse, mas acredite, eu fui tudo o que poderia ser e continuo sendo. Acho que às vezes esperamos demais das pessoas, queremos demais das pessoas, e esquecemos de pensar o que será que eles querem de nós? Esquecemos de perguntar o que cada um deve doar de si, e só ficamos cobrando cobrando, nos machucando. “Eu sei que o tempo anda difícil e a vida tropeçando” mais um coisa que eu acredito nisso tudo é que “temos um eterno amor de além” e se realmente houver amor, vamos construir uma vida nova.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

...


Há tanto tempo uma lágrima não se desenhava em seu rosto, que ele já nem sabia como ela era salgada feito o mar. Mar calmo depois da tempestade, mas ele não conseguir entender porque essa tempestade tinha que vim assim de repente mudando tudo, arrancando coisas dos seus lugares, mudando sua vida. Ele continuava chorando sem entender nada do mar, nada das lagrimas, nada da vida...

Sem você


Meus passos se perderam
No caminho que deixou de seguir os teus
Vida parada...
Dias parados...
E eu querendo saber
Que caminho eu sigo sem ti, amor?

 
"Oh meu Deus me traz de volta essa menina
Porque tudo que eu tenho é o seu amor"
(Leandro Léo)

terça-feira, 13 de novembro de 2012

João de barro


Ninho vazio
Esperando tua volta.
E eu ainda aprendendo
A te desprender do meu peito.
O meu desafio é andar sozinho
Esperar no tempo os nossos destinos
Não olhar pra trás, esperar a paz.. (Leandro Léo)

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Uma história atual


Eu fiz tudo errado, ele estava lá na minha frente, e mais uma vez eu fiz tudo errado. Deixei o príncipe sair porta a fora sem ter dito uma só palavra. Fiquei calada, porque contos de fadas ainda me assustam. Não consigo confiar em alguém que diz que seremos felizes para sempre, porque depois vêm as brigas, os problemas e isso de felizes para sempre não existe. Mesmo assim acho que fiz tudo errado. Devia ter pedido para ele ficar, ensiná-lo a viver nas turbulências que há nos relacionamentos reais. Mostrar a ele que ser feliz não precisa ser para sempre, mais enquanto houver amor e respeito. Eu devia ter feito isso, mas agora é tarde para me arrepender. Lembro disso todas as manhãs que acordo sozinha, cinderela sem príncipe, mulher independente.

sábado, 10 de novembro de 2012

Sobre um nó


Eu queria não saber senti isso que me aperta e me prende. Nó na garganta. Mas parece que não ainda não aprendi. Tu vais e eu fico aqui, com meu peito aberto. Ferida constante esperando tua volta. Sei que logo te terei comigo, e mesmo assim meu coração aperta quando chega o fim da tarde e não vou te encontrar. Quando no meio do dia quero correr para almoçar contigo e tu não estás em casa me esperando, ou quando vou tomar sorvete sem ninguém para me acompanhar. E o nó ainda insiste aperta aperta e você longe longe e eu te esperando voltar.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Das coisas que farei

Na segunda-feira, eu vou acordar bem cedo e dizer que te amo. E antes de sair para o trabalho vou dizer que te amo, quando chegar em casa a tarde, eu vou dizer novamente que te amo, e antes de você dormi, o meu eu te amo, vai atravessar os quilômetros de distância e você vai ouvi-lo, como se eu estivesse ao seu lado.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Ela e a poesia


Ela brinca de descobrir o mundo
Desenhar sentimentos
Colorir palavras
Transformar a vida
Em poesia
Essa menina chamada Aline.

Partida

De repente
Foi aumentando a saudade
E a distância
Entre meus braços e os teus
Partindo meu peito
Em dois.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Não desista...


Novembro chegou e com ele uma tempestade de emoções em meu peito. Porque você tem que tornas as coisas sempre mais difíceis? Não ver que quero o seu bem, o melhor para você, para nós? Ainda fecho os meus olhos e lembro dos teus beijos a luz do luar, das tuas juras de amor.
Fica comigo, não desiste de tudo o que já construímos juntos, luta comigo para superar todas as barreiras. Eu estou aqui, e ainda sinto meu coração acelerar todas as vezes que você se aproxima, como se fosse a primeira vez que nos encontramos.
Eu te amo, segura a minha mão e se entregue as dificuldades, vem de olhos fechados que jamais deixarei você cair. O amor tem disso, de cuidar um do outro sempre sempre sempre.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Uma historinha triste


Estou só, e por mais que digam o contrário, tem uma solidão instalada habitando meu peito. Estou só, mesmo você estando sempre do outro lado da cama. Estou só no silêncio da mesa enquanto jantamos. E quando faz amor comigo e não diz mais que me ama. Estou só e o que me resta de ti é a solidão da tua vida vazia.

domingo, 28 de outubro de 2012

Ei!


Ei, eu to aqui! Parece que acabou esquecendo que estou aqui, como estive o tempo todo. Te observado, te cuidando, te amando. Eu sei que me ama, mas é preciso muito mais que isso, é preciso me fazer sentir amado também. Ou será que estou pedindo muito?

Ei, me olha! Tantas e tantas vezes trocamos olhares apaixonados, tão doces... Mas eles acabaram se perdendo em algum lugar que não sabemos exatamente onde foi. Agora você me nega, eu ainda me pede para entender.

Eu não quero ser só o seu amigo, não foi este o lugar que eu lutei para conquistar, quando te fiz mil versos, quando disse que queria viver a vida inteira ao teu lado, o lugar que eu ocupo todos os dias.

Ei, me enxerga! Eu não vou pedir isso para sempre. Eu não vou ficar aqui para sempre, se não fizer a sua parte.

Questionamento

Quantos poemas valem o seu sorriso?
Farei todos os que me pedi,
Se me der um sorriso
Dos seus
Para eu colar em minha boca.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Sobre o ciúme que senti

Isso tudo são centímetros
Sentimentos mínimos
Perto do amor que sinto por ti
Que invade quilômetros em meu peito,
Campo aberto do teu viver.


 


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

...

... Hoje me peguei pensando em nós. Já fazia tanto tempo que não parava tudo para pensar em nós. Assim amarrados um ao outro de maneira tão apertada, como temos vivido. Acho que nem percebemos quando isso aconteceu, mas acabamos assim, presos por um laço invisível que nós mesmos amarramos.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Essa coisa...


Isso que nasce dentro de mim, crescente para todos os lados. Traiçoeiro me fez ver e sentir coisas. Confesso que estou a ponto de enlouquecer, de pirar de vez como fez Bentinho, mas já prometi a mim mesmo que antes que isso aconteça eu embarco no primeiro avião, e fujo com o destino do vento, assim sem destino....

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Ao amor


Passo a passo
Silenciosamente
Apossou-se do meu coração
Instalando-se como dono de mim
Tatuando em minha pele o seu cheiro
Escrevendo e minha alma uma história linda
O meu amor nasceu para encontrar com o teu
A minha vida seguiu para cruzar com a tua
Amor como o nosso as histórias ainda vão inventar.
 
 
PS, Eu te amo

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Quando alguém parte...


 
Todo aquele silêncio da escuridão da sala quebrado pela voz marcante de Dalva de Oliveira, cantando Que será? Ela se perguntando o mesmo que eu tenho me perguntado todas as noites desde que me vi aqui sozinho “Que será da minha vida sem o teu amor?”. Tenho me feito de forte, tenho procurado sempre coisas diferentes para fazer, até ando pegando um novo caminho para voltar para casa depois do trabalho, tudo para não lembrar ti, não lembrar a nossa rotina, a vida que dividimos tanto tempo. Mas aí a noite chega é me vejo lá, do outro lado da cama, que agora parece ser maior, me vejo do outro lado da mesa sem o som da sua voz me perguntando como foi o meu dia. Dalva ainda canta, e sua voz entranha minha alma, me arranca algumas lágrimas, me traz algumas lembranças. Dói, sei que nem todos vão entender agora, mas a dor de perde alguém, de ver alguém partir, de deixar alguém partir mesmo quando a gente ainda ama é como se deixássemos uma parte de nós partir também. Parece tão difícil recomeçar agora, não sei exatamente por onde. Não sei se tenho forças, não sei nem se quero recomeçar. Eu te queria tanto aqui, agora, dançando comigo como antes. Mas essas coisas não voltam mais, eu sei. Por mais que eu não consiga entender agora, eu sei que não voltam.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Aquele rapaz


Ainda me pergunto quais mistérios esconde aquele rapaz, de olhos arregalados escondido atrás do vidro embaçado de seus óculos antigos. Parece que foi ontem que ele entrou em minha vida como quem se apropria de algo para si. Não perguntou meu nome, não quis saber do meu passado, mas me envolveu em seus abraços, me beijou como se meus lábios fosse água e ele um perdido no deserto. Nunca falei nada da curiosidade que tinha de saber, porque ele ficava horas em silêncio, parado me olhando, mexendo em meus dedos e em meus cabelos. O que ele pensava? Nunca quis perguntar, por mais que eu quisesse, mas naquele silencio existia uma cumplicidade que só nós dois tínhamos, e eu não queria perde isso.

Ainda me pergunto quais mistérios esconde aquele rapaz. Ele me falou do existir das flores, me explicou sobre os astros e me faz rir do seu riso aberto de menino, mostrando todos os dentes. Depois me puxou pelos braços e me levou a lugares, que eu nunca imaginei pisa. Fez da minha vida, mais feliz, mais alegre, mais vida. Mesmo agora que ele se foi, continuo ainda querendo saber quais os mistérios escode aquele rapaz, que ainda insiste em invadi meus pensamentos, tomá-los todos para si.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Guardado

Te guardei em minhas cartas e
em alguns poemas que fiz para o teu sorriso
Te pintei em mim
E mesmo com a tua partida,
estarás para sempre
entranhado em minha pel o amo que vivemos.

Doce...

Tu me falas do teu amor
Doce...
Guardado em um beijo
Para quem tiver coragem de tomar para si
Mas não tenhas pressa, menino
O amor sempre chega de surpresa
E um dia desses vou te roubar para mim.

 
 

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Para o fim de agosto


Ele está partindo, e eu nunca fiquei tão feliz com uma partida como estou. Realmente foi um mês cheio de desgostos emocionais, e gostos amargos que ainda estou tentando esquecer, tentado cuspir tudo. Eu nunca tinha acreditado na maldição deste mês, até chegar aqui. Querendo logo que ele se v
á, com suas malas velhas, sujas, cheias que lembranças que eu prefiro tentar esquecer, mesmo não sabendo como, mas depositando todas as minhas fixas no mês seguinte. Por varias vezes durante este mês cão eu desejei, dormi e deixar apenas um bilhete na porta do quarto dizendo: “Me acorde quando agosto acabar”. Só o que me adiantaria dormir se uma hora ou outra eu teria que acordar e encarar tudo de uma vez, então pensava sempre comigo. - Vá em frente, você vai conseguir superar tudo isso, e hoje estou aqui em pé, o vendo partir. Ainda não estou completamente bem, mas aquela coisinha, que já não sentia há muito tempo, mexeu comigo fazendo uma coceirinha gostosa no peito, abrindo um riso sincero guardado há muito tempo dentro de mim, então descobrir que minha esperança voltou e com ela a minha vontade de ser maior que agosto e todas as suas infelicidades, de ser maior do que tudo o que me fizeram, porque agora eu tenho a esperança comigo de que tudo ficará bem.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Teu silêncio


 
O meu único problema é este teu silêncio, que machuca e me fere por dentro. Um silêncio secreto, cheio e interrogações. Por que não falas como antes? Em que parte mesmo que nossas vozes se calaram? Não lembro, parece que me perdi em uma tarde de domingo quando íamos ver o por do sol, e acordei de repente aqui neste sonho louco, onde só ecoam as minhas perguntas e nada mais.
Será que um dia perceberá que eu também me calei? Acabei me acostumado à falta de comunicação. Comecei a achar normal só ficarmos ali, eu, você e o silêncio. Um silêncio que me disse muitas coisas, que me mostrou muitas coisas, algumas até obvias, mas a gente, só enxergar o que quer ver. Ainda estou aqui, esperando uma palavra sua, conversando com o silêncio, porque ele sempre me diz algo. Você não.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

[...]


[...] Estou partindo... Arrumando as minhas malas, começando a fazer novos planos, buscando novos sonhos. Indo ao encontro de novas histórias, inesquecíveis como está que vivemos. Quero novos olhares do mundo, novas cores para a minha vida que acabou ficando tão azul. Eu já havia esquecido quantas cores o mundo tem todo este colorido. Quero amanhã acordar amarelo, a tarde ficar rosa e a noite quem sabe me vestir com um preto e chorar as lembras, que ficam vivas em minha mente, mas no dia seguinte, acordarei vermelho e sorrirei de tudo, e seguirei assim todos os dias, um dia de cada vez, porque partir nunca foi fácil para ninguém, ainda mais quando queremos ficar, quando lutamos para ficar.

O primeiro passo porta a fora, o sol ofuscando nossos olhos quase nos cegando de tanta luz. Luz que ficou escondida por muito tempo. Mas nada se compara ao cheiro das flores do campo, ao barulho da vida te chamando, te obrigando a ir viver também [...]

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Uma história qualquer

Hoje acordei e lembrei do menino que conheci naquela noite quente de outubro. Ele veio até mim, me desfez com um sorriso, me desnorteou. Chorou para mim, me fez juras eternas de amor, penso que por muitas vezes, eu esperei conhecer este menino, que hoje é o homem da minha vida. De todos os problemas, todos os defeitos que temos, todas as novas fases da vida, elas todas tem um jeito no qual juntos podemos superar, porque, eu amo aquele menino, e sei que ele me ama também.

PS, Eu te amo.

sábado, 18 de agosto de 2012

Saudade II

Quando chega o fim da tarde eu penso em te ligar, perguntar se estás bem, falar alguma besteira, dividir um riso contigo. Quando chega o fim da tarde e a noite toma conta de tudo, eu sempre me pergunto: O que faço sem você aqui? Não sei, se sentes a minha falta como eu sinto, mas isso não importa. Se é na saudade a único lugar que posso te ter, então que eu morra de saudade todas as noite.

Saudade I

Teu mar
Minha saudade...
E as lágrimas que insistem
Fazer onda na tua ausência.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Amizade de amor

Colaboração de Thainá Rodrigues

Que os laços não se esqueçam, mesmo que se soltarem;
Que a dor da decisão de ir seja sempre menos forte que a vontade de permanecer.
 
E que o tempo se encarregue de levar a fase ruim;
E os ventos tragam bons rumos, sorrisos...

Que minhas vontades não sejam sempre respeitadas;
Ainda que pareçam seguras. 

Zona de conforto sempre me parece menos segura, contraditório.
Contraditório assim como todo o resto da história.

Que nós continuemos sendo para sempre, 
mesmo que para sempre seja utopia de quem ama de olhos fechados
e coração aberto. 

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Ao nosso tempo


O tempo... Ele é culpado de tudo. Pelo amor que cresce dentro de mim todos os dias. Da saudade que sinto mesmo sabendo que estamos separados apenas por alguns minutos de distância. Tudo é culpa do tempo! Esse tempo que me fez ver que é preciso paciência, respeito, lealdade, sinceridade e compreensão para entender que o amar não é como nos livros que eu lia quando criança.

O tempo que me faz ver que é preciso maturidade de ambas as partes para fazer com que o amor não diminua com os compromissos da vida adulta. O amor não morre com o tempo. O que morrer é a nossa capacidade de reinventá-lo todos os dias. De saber lidar com as emoções a flor da pele, com as brigas por bobagens e não cair na rotina.

Por isso, eu desejo mais que amor aos nossos dez meses, desejo que sejamos capazes de juntos superar todas as barreiras, por aquele amor que vimos nascer um no olho do outro, que cuidamos com carinho, que fizemos juras eternas.

PS, Te amo.

sábado, 28 de julho de 2012

Uma História Triste


- Nada é para sempre, disse ela,
enquanto para sempre partia
levando para sempre seus beijos
quentes, seu abraço apertado, seu
colo acolhedor.
- Sim, ela partiu! No dia 1º de agosto ela
foi embora, deixando apenas a incerteza
se a minha saudade, sabia ou não que nada
é para sempre.

terça-feira, 24 de julho de 2012

O que tenho a te oferecer


O que tenho a te oferecer
São meus discos de Waldique e umas cartas feitas para a tua chegada
Guardei para ti o meu amor cafona como nas letras de Odair José
E sincero como o de Romeu por Julieta,
E tudo o que te  ofereço
São versos sem rimas, 
Sem a perfeição do teu sorriso
Ou a precisão do seu olhar
São meus versos
Tudo o que sou
Tudo o que fui
E o que restará de mim
Esses versos
Todos dedicados a ti.

PS, Eu te amo.

Do amor


Barcos sem vela
Porto sem cais
E a brisa do teu último beijo
Sempre marcante vem me visitar
Da vida eu trouxe marcas
Do amor, só a saude que tenho dos teus beijos, menina.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Barquinhos



Da tua partida só restaram os
Barquinhos de papel
Que navegam neste rio de lágrimas 
Da tua ausência

quarta-feira, 27 de junho de 2012

[...]


Na porta do avião eles se olharam
Mas só um teve coragem para falar, mesmo timído falou:
- Não demorar, e se possível me traz um pedacinho do mar nos teus
 olhos, para eu me sentir mais azul do que todo este amor que tenho.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Além...



Me pintei um sorriso
Das cores da tua felicidade
Fiz minha cama em seu colo quente
E me deitei sobre o seu amor.
Agora eu sei o que se esconde
Além do teu corpo nu.

(Para PS, que me mostrou além do que eu sempre vi.)

terça-feira, 12 de junho de 2012

De todas as coisas que vivi te amar é a melhor delas


Dos dias em que vivo os melhores são ao teu lado, morando neste teu sorriso largo, me escondendo entre teus abraços quentes, brincando em teus sonhos. Outro dia choramos ao telefone depois de uma briga. Pensar na possibilidade de nos perdemos um do outro, dói como ferida aberta.
Somos tão cúmplices, tão amigos, tão tudo um do outro que às vezes eu acho que já nos misturamos de mais, nem sei mais quem sou eu sem você, e acho que você já se esqueceu de quem eras antes de mim. Somos um. Um beijo apaixonado, um abraço apertado, um olhar para a mesma direção.

Eu te amo, e te amo como nos romances antigos dos livros velhos, naquele estante empoeirada. Você é tudo o que me completa e tudo o que eu quero enquanto houver tempo, enquanto houver vida, como naquela canção eu sei que “seremos dois velhos felizes de mãos dadas em um tarde de sol pra sempre”.

sábado, 26 de maio de 2012

...



Eu tentei resistir, mas ela é sempre prepotente demais, veio devagar, chegando silenciosa e tomando conta de todo o meu rosto. Eu chorei e lavei com toda aquela água a minha alma cheia de saudade e solidão.

terça-feira, 15 de maio de 2012

AMAdurecido..


Por Flávia Fontes

Este jeito teu de amargar a beleza de uma paixão, finges, sentes, mentes...
E o mundo parece morar em tua palma, de cores sem alma, rentes...
Neste teu gesto vão: “razão”... Duras palavras! Aparentes!

Este teu brilho de estrela, a Mulher, mãos ligeiras, rabiscas: “ frases”...
E o teu olhar altivo, verbo imperativo, finito nestes olhos sutis... Ares...
Justificativas de um espírito “solitário”, sentimentos, sem pares
Resumido, neste teu AMAR endurecido...
Amadurecido...

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Sobre as coisas do amor



Você não vai vim, eu sei. Mas eu vou continuar aqui te esperando. Te esperaria a vida toda e mais um pouquinho além só para poder pelo menos saber como estás, se tem dormido no horário certo e se não tem ficado comendo besteiras por ai. Porque amar tem disso. Se importar com alguém até quando ele parte.

PS, Eu te amo.

sábado, 12 de maio de 2012

Depois


Por Flávia Fontes

Estou arrumando os cabelos, retocando o batom, repaginando alguns sonhos, permutando ideias, revendo conceitos... Decidi, assim de repente, seguir em frente... Sem você. Dói perceber que você parou. Aí no seu “mundinho”, desistiu de si mesmo. Boa sorte então, eu quero seguir. Quero que você seja feliz, se não for, não é mais problema meu. Só quero que lembres bem de hoje, de agora, e de quanto eu te esperei, como ninguém te esperou, como você jamais seria capaz de me esperar. Acabou, cansei... Fique do lado de quem te merece... Mágoas?! Jamais... Apenas lágrimas que não caem dos olhos, não tenho mais coragem de chorar... Apenas uma canção triste de fundo, um frio em volta, um nó na garganta... E uma decisão. Apesar de ainda te amar... Apesar de ainda te amar. Para mim acabou.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Ele e o mar


Seus olhos perdidos naquele azul escuro das águas além da praia, aonde ele sempre vinha ao por do sol, ouvi o barulho da água nas pedras - não era o por do sol que o atraia até aquele lugar todos os dias, depois do trabalho. Mas sim aquele azul escuro das águas violentas, que a cada dia arrancavam um pedaço das rochas do litoral para si.

Parado, quase como uma estatua velha, daquelas de praça, ele ficava ali, por horas olhando o mar, admirando sua valentia, sua imponência. Talvez com um pouco de inveja de toda aquela agressividade natural, ou admiração de todo aquele mistério que envolve as águas azuis escuras do mar. Talvez a relação entre eles dois, jamais consiga ser explicada ou definida. Teríamos que perguntar para aquele rapaz, mas depois de um tempo ele parou de vim ver o mar. Não sei se mudou de cidade ou conseguiu encontrar o que tanto buscava naquelas águas.  

Ele, que aparentava ter um pouco mais que 20 anos de idade, era dono de um olhar triste desses caídos naturalmente, como se ele já tivesse nascido gostando da tristeza, e essas pessoas que tem o dom de saber se triste, sabem muito melhor do que todos, o segredo de ser feliz.

Hoje me pego parado aqui em frente ao mar, olhando as rochas cederem pela brutalidade do oceano, pensando no rapaz, pensando neste mar a minha frente e ainda tentando descobri qual será o segredo para a tal felicidade.