segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Quando alguém parte...


 
Todo aquele silêncio da escuridão da sala quebrado pela voz marcante de Dalva de Oliveira, cantando Que será? Ela se perguntando o mesmo que eu tenho me perguntado todas as noites desde que me vi aqui sozinho “Que será da minha vida sem o teu amor?”. Tenho me feito de forte, tenho procurado sempre coisas diferentes para fazer, até ando pegando um novo caminho para voltar para casa depois do trabalho, tudo para não lembrar ti, não lembrar a nossa rotina, a vida que dividimos tanto tempo. Mas aí a noite chega é me vejo lá, do outro lado da cama, que agora parece ser maior, me vejo do outro lado da mesa sem o som da sua voz me perguntando como foi o meu dia. Dalva ainda canta, e sua voz entranha minha alma, me arranca algumas lágrimas, me traz algumas lembranças. Dói, sei que nem todos vão entender agora, mas a dor de perde alguém, de ver alguém partir, de deixar alguém partir mesmo quando a gente ainda ama é como se deixássemos uma parte de nós partir também. Parece tão difícil recomeçar agora, não sei exatamente por onde. Não sei se tenho forças, não sei nem se quero recomeçar. Eu te queria tanto aqui, agora, dançando comigo como antes. Mas essas coisas não voltam mais, eu sei. Por mais que eu não consiga entender agora, eu sei que não voltam.

4 comentários:

  1. ' A dor é universal. A dor da perda é universal... Lindo texto. Parabéns. =)

    ResponderExcluir
  2. Também adorei o texto... Ótima reflexão da saudade, da falta...

    ResponderExcluir
  3. Olá!!!!
    Visitei o teu cantinho e gostei tanto!!!!
    Parabéns!!!!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. A vida também é feita de... partidas!

    ResponderExcluir